Observadores desavisados podem olhar para a orelha e, naturalmente, concluir que a sua única função é captar os ruídos externos. É evidente que boa parte de seu funcionamento diz respeito à audição, mas essa não é a única responsabilidade do sistema auditivo. 

Uma orelha é composta pela orelha externa, a orelha média e a orelha interna. Esta última, também conhecida como labirinto, é a estrutura responsável por registrar movimentos e realizar a manutenção do equilíbrio do nosso corpo. 

Quadros como a labirintite podem comprometer gravemente essa capacidade. Apesar disso, o uso de técnicas fisioterapêuticas pode controlar e tratar tais sintomas, devolvendo a qualidade de vida para o paciente. 

Para entender melhor todas as maneiras pelas quais a fisioterapia para labirintite pode ajudar, acompanhe o artigo a seguir. 

O que é labirintite? 

A labirintite é caracterizada pela inflamação da estrutura interna da orelha, que conhecemos como labirinto. Esse quadro pode ser observado em episódios únicos ou regulares, em diferentes intensidades. 

É muito comum que um episódio de labirintite seja precedido por uma infecção respiratória, como um resfriado ou uma gripe. Essa doença é mais comum em homens e mulheres entre 30 e 40 anos de idade, e seu principal e mais característico sintoma é uma vertigem aguda ao movimentar a cabeça bruscamente. 

Entre outros sintomas, podem ser observadas náuseas, perda da audição e instabilidade constante, por exemplo. Algumas dessas manifestações são apenas momentâneos, mas têm o poder de prejudicar o senso de orientação do indivíduo. 

Como é feita a fisioterapia para labirintite?

A labirintite é uma condição que pode debilitar a capacidade de locomoção daqueles sujeitos aos seus sintomas, além de causar uma série de outros desconfortos. A fisioterapia, portanto, é uma maneira eficiente de se tratar esse quadro, restabelecendo o equilíbrio físico do paciente. 

As práticas de fisioterapia para labirintite têm o nome de reabilitação vestibular e consistem em uma série de exercícios personalizados para cada paciente, com a ajuda de um profissional fisioterapeuta especializado. 

Pode até parecer contraditório, mas exercícios do tipo tendem a induzir à vertigem, a fim de dessensibilizar o sistema vestibular. Inicialmente, eles são introduzidos com o paciente em posição de repouso, sentado. 

As principais atividades de reabilitação vestibular consistem em movimentar os olhos em diferentes velocidades e posições – para cima, para baixo ou para os lados. Outro exercício importante é o de recolher objetos no chão repetidamente, tanto na posição sentada quanto em pé. 

Onde encontrar uma clínica especializada em fisioterapia para labirintite?

Todos esses exercícios devem ser feitos com cuidado, principalmente por pacientes idosos, que podem sofrer com o desequilíbrio, aumentando as chances de quedas. Por isso, ter a ajuda de um profissional especializado e experiente pode fazer toda a diferença no sucesso e na rapidez do tratamento. 

A SM Care é uma clínica com bastante experiência na prática de fisioterapia para labirintite, contando com toda a estrutura necessária e profissionais altamente capacitados para promover um tratamento eficiente contra os sintomas da inflamação vestibular. 

Entre em contato conosco e saiba como podemos te ajudar.