Veja como tratamentos fisioterapêuticos auxiliam no pós-operatório do joelho e como marcar consulta em clínica de fisioterapia ATM.

As fraturas na região do tornozelo podem ser de diversas causas, sendo que as forças responsáveis por esse tipo de lesão são a compressão vertical, a rotação externa, a adução e a abdução.

Geralmente, a causa mais comum é o famoso “passo em falso” combinado a uma torção. Existem também outras possibilidades, como acidentes automobilísticos, esportes de contato, pancadas fortes, quedas, entre outros motivos.

As estruturas do tornozelo

É comum pensarmos no tornozelo como compondo uma única articulação, porém, na verdade, ele é formado por duas articulações:

  • A superior, em que articulam a tíbia na parte interna do tornozelo, o perônio pela parte externa do tornozelo e o tálus (astrágalo) abaixo;
  • A inferior, que é constituída pelo tálus acima e pelo calcâneo (osso do calcanhar) abaixo.

As partes superior e inferior formam um conjunto responsável pelos movimentos de extensão/flexão e inclinação para dentro/fora do pé.

Existem diversos tipos de fratura no tornozelo, que variam em localização, gravidade e tipo de tratamento.

A importância da fisioterapia no pós-operatório

O papel da fisioterapia é atuar após os primeiros procedimentos realizados pelo médico, quando o paciente é liberado para sessões com o fisioterapeuta, o que pode acontecer quando a pessoa ainda estiver no hospital.

Após um procedimento para remediar fraturas graves, a fisioterapia visa a controlar o inchaço (edema) e as dores através de manobras de massagens, exercícios específicos e equipamentos de analgesia.

Por conta da possível cirurgia e da fixação das articulações, alguns movimentos importantes podem ser empregados pelo fisioterapeuta no intuito de facilitar a circulação do sangue na região, melhorando a cicatrização, garantindo todos os movimentos e promovendo maior conforto ao paciente. Em casos mais simples, em que não é feito o uso de gesso ou da órtese, a fisioterapia visa a recuperar as múltiplas funções da região afetada.

fisioterapia ATM

Os tratamentos para fratura no tornozelo

Os tratamentos fisioterapêuticos mais indicados para uma fratura no tornozelo serão determinados conforme o tipo de procedimento realizado pelos médicos, que pode ser conservador ou cirúrgico, dependendo do estado de saúde da pessoa.

Por meio da fisioterapia, aplica-se, inicialmente, técnicas que visam à redução da dor, processo inflamatório, possíveis edemas e também à prevenção de futuras lesões. Após as primeiras condutas, são realizados exercícios com o objetivo de aumentar a força muscular, a mobilidade e também o ganho de amplitude de movimento.

Ao final do tratamento, é trabalhada a propriocepção, a carga corporal, assim como o treino de marcha e o treinamento neuromuscular do tornozelo. Juntamente com a terapia funcional, existem outras modalidades fisioterapêuticas com o intuito de promover uma recuperação mais eficiente.

Nesse caso, são utilizados diversos recursos, tais como ondas curtas, banho de contraste, ultrassom, além de algumas outras terapias concorrentes, como estimulação eletrogalvânica, dinâmicas, terapia com corrente de interferência, entre outros.

Encontre tratamento para fratura no tornozelo em clínica de fisioterapia ATM.

É visível o quanto o papel de uma clínica de fisioterapia ATM é importante na recuperação de pacientes no pós-cirúrgico de uma fratura no tornozelo.

Nesse sentido, a SM Care é uma clínica que conta com profissionais, equipamentos e tecnologia necessários para prover aos pacientes com fratura no tornozelo os melhores tratamentos, visando sempre à recuperação e garantia de todos os movimentos que podem ter sido afetados pela lesão.

Navegue pelo site para conhecer mais sobre a SM Care e agende uma consulta.